A ciência de dormir bem

16/05/2017

 Por Cary Grant – Fonte: (Revista Yoga Chicago – jan/fev. 2004)

Traduzido por: Lais Guru Suroop Kaur

 

                Você tendo problemas para dormir? Está se debatendo e girando na cama? Ou talvez esteja despertando no meio da noite e não consegue mais voltar a dormir? Ou ainda, quando o despertador toca, você está num sono pesado? Se um ou todos estes padrões são familiares para você, a ayurveda, a antiga ciência da vida pode ajudá-lo.

                A Ayurveda ensina que a causa principal da insônia é excesso de pensamentos e de estimulação sensorial que desorganizam nosso relógio interno. A ciência moderna está de acordo com o fato de que nosso relógio interno é o fator determinante de quando dormimos e da qualidade de nosso sono. O relógio interno é acertado de acordo com o ritmo diário ou circadiano.

                As pessoas que vivem ao ar livre encontram seu ritmo internamente pelo nascer e pelo pôr do sol e pelos ciclos lunares. No entanto, muitos ocidentais vivem separados de seu mundo natural. O nascer e o pôr do sol só são observados ocasionalmente. Dentro dos locais de trabalho e das casas estamos rodeados por estimulação artificial sob a forma de luzes, TV, computadores, etc. De fato, somos bombardeados com estimulação sensorial ao longo de todo o dia. Não é de se espantar que nosso relógio interno esteja confuso.

                No entanto, para corrigir os padrões que levam à insônia, precisamos sintonizar com o relógio interno. É muito importante fixar um horário para acordar, para dormir, para comer, para exercitar-se e para fazer um quieto relaxamento. Quando estes horários se tornam seus indicadores pessoais, todos os nossos sistemas psíquicos se harmonizam com eles.

                Primeiro fixe um horário para acordar e o obedeça. Isto é a base para acertar seu ritmo circadiano. Depois de acordar tome um banho de luz com o espectro completo. A forma mais simples de fazer isto é sair fora de casa, saudando o sol.

                Depois, planeje algum exercício pela manhã. O exercício e a luz iniciam o ciclo ativo do dia. Você também pode fazer algum exercício mais tarde, após o jantar, mas nada extenuante. Você não vai querer jogar futebol, num jogo agitado, às 21 horas, e conseguir dormir bem às 23 horas! Desta forma, quando viajar, a luz e o exercício pela manhã de sua chegada, amenizarão os efeitos do “jet lag”.

                Os horários das refeições precisam também ser estabelecidos. Muitas pessoas ficam bem com o tradicional desjejum, almoço e jantar, sendo que o horário do jantar termina em torno de 20 horas. Outras podem necessitar terminar mais cedo, entre 18 e 19 horas. Muitas pessoas sofrem de insônia por causa de problemas digestivos. Fazer do jantar uma refeição leve, num horário mais cedo e, pelo menos duas horas antes de ir deitar-se, pode trazer excelentes resultados. É importante colocar a proteína principal que vai ingerir no dia, no almoço, uma vez que muitas delas são estimulantes. A exceção é o peru, que contém triptofano, uma substância química que causa sonolência. Evite ou regule outros estimulantes como cafeína, álcool, nicotina, açúcar, frituras e temperos fortes.

                A solução real para muitas pessoas está em começar a desacelerar  a partir das 20 horas. Desacelerar significa apagar  luzes, desligar a TV e sair do computador. Pode ser que algumas pessoas precisem começar a desacelerar um pouco mais cedo, em torno das 19 horas. A ideia é imitar o natural pôr do sol, reduzindo a estimulação externa.          

                Muitas pessoas com insônia são hiper-sensíveis e nervosas, correspondendo ao tipo vata em ayurveda. Elas têm a tendência a ser especialmente sensíveis à eletricidade, luz, som, excesso de movimento, tumulto e toque. Estas